segunda-feira, 17 de dezembro de 2007

Ariel (Acrostico nº 1)

Aconteceu inconscientemente

Reluziu de forma inerente

Inexorável e imutável.

Envolvente e descontente

Luz, alma, corpo e mente.


Ao poucos a tomou no colo

Leu em seus ouvidos

Estrelas, ninfas e bolhas de vidro.

Xingamentos criados por uma voz, que

Alcançava o divino.

Não, não era de se temer

Deus respondia, olhava e

Reescrevia a historia que dali

Irrefutável e reconditamente

Não conformada em ser apenas contente

Ousava tocar o sol e surgia.


Ganhavam o divino

Alcançavam o voou alto

Navegavam por

Altas e calorosas chamas

Sem medo

Só sentindo

Iam sempre alem...


Milhares de horas, chuvas e beijos surgiram...






Henrique Santana C.

Nenhum comentário:

Postar um comentário