segunda-feira, 31 de dezembro de 2007

Mariposas

Mundos pulsam em sua cabeça

Vestígios de um louco qualquer

Nadando contra o todo ser…


Os olhos grandes o devoravam

Os pequenos o espreitavam

Sombras de uma insônia sem cor


O mundo que ele quer

Cabe em uma colher

Mas o sentimento não há…


O desejo que sonhou

O sonho que afundou

Já não importa mais


A verdade que buscou

À mentira se misturou

Em uma gota de solidão


Sabe se a verdade sempre vence hein?

Ou o medo vai mais alem?

Dinossauros também já existiram,

E não sumiram com o disparo de um tiro


Tinha que fazer algo verde,

Pra saber o que seria dele

Mas ele era só limão.


Nesse caso...


Tente o melhor que tiver

Beba o sangue que ele contém

O mundo está prestes a desabar

Como as mariposas que estão loucas

Pra te assombrar.


Divirta-se







N.A: Feito em um momentos meio hã?. Os dois abaixo tambem.

Um comentário:

  1. Gosto muito das coisas que escreve... é do tipo de poemas que pode-se ler sempre... e sempre vislumbramos algo mais...

    beijinhoss

    ResponderExcluir