segunda-feira, 31 de dezembro de 2007

Penso, logo sinto.

Ai, o tormento se foi.

E sim, posso sentir o vento nos embalando.


Pudera eu, me prender a esse sonho

E deitado em teu peito

Navegar o teu eu - oceano

Por milhares de dias, horas e sonos.


Recosta tua cabeça em meu ombro

Desliza tuas mãos sobre as minhas

E me faz cantar


Não existe nada mais belo que o castanho de teu olhar


Sinto tua boca, com um simples fechar de olhos

Enlouqueço-me com teus beijos, com o simples desejo de amar.


São as ondas do mar

Ou as batidas de meu coração?

Não sei ao certo de onde veio essa canção

Embora conheça a única verdade

Que desafia toda a eloqüência da razão


Amo-te, e isso é tudo

O resto é sentimento vão.

Um comentário:

  1. O fecho do poema arrebatou-me,
    sentes minha alma aí do teu lado,
    aliás, grudada no teu poético
    pescoço? Ual!

    Eita nós...poetaaaaaaaa

    ResponderExcluir