sábado, 22 de dezembro de 2007

Poema da Metade Completa.

A verdade é que se sabe

Que o inteiro de todo mundo

Nesse mundo

É sempre metade.

Verdade...

Eu sempre procurei fazer o meio

Começando pela metade

E assim ser completo.

E por fazer isso, sempre assim

Talvez alguém ache esse poema repetitivo demais

O que deixará com partes iguais

Tirando a sua beleza

Que é a falta de integridade

Em sua naturalidade.

Mas é preciso ser assim

Será bom para você

Espero que não para mim

Isso deixaria o poema inteiro

Como quando deito sobre meu travesseiro

E isso será ruim, em mim.

Olha para mim,

Tudo isso fiz um momento inteiro

Para dizer a um menino espelho

Quão inteiramente importante

Ele é para mim...

Mesmo que para todo mundo isso

Isso seja meio lá, meio assim.

Enfim,

Espero que a outra metade se mostre a mim

Por enquanto,

Espero, nessa metade da história

Para ela não ter fim.

Nenhum comentário:

Postar um comentário