sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

Título:

nem parece que foi ontem que o acontecido aconteceu
nem parece que o esperado num instante desapareceu
nem parece que foi lá
nem me parecia ser um lar

mas por favor
não me faça perder meu tempo
a cada hora e a cada momento
que eu desperdiço com você
não sei se no fim tudo vai voltar

nem parece que o que aconteceu repercutiu demais pra mim
nem parece que minhas lágrimas tiveram fim
nem parece que eu chorei
nem parece que eu quis chorar

mas por favor não me faça perder meu tempo
A cada hora e a cada momento
Que eu desperdiço com você
Não sei se no fim tudo vai voltar

domingo, 19 de dezembro de 2010

quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

Dear Santa

Now i lay down to sleep

Hoping you do a spell

Wich make my dream come true

And bring me the Love

Air and Honey


- Oh, well...

domingo, 12 de dezembro de 2010

Avici

Não há ninguém lá....

Não há ninguém lá...

Não há ninguém lá..

Não há ninguém lá.


Para te ouvir
E abraçar

Quando suplicar.

terça-feira, 7 de dezembro de 2010

Paradise Circus

E foi no começo do terceiro mês

Ao fim da noite-dia



O holofote focou a sombra

E o malabarista escondeu a lona



Porque no rosto do palhaço de maquiagem escura

O desenvolto mágico escondeu

Na lágrima de tinta

O calar frio da ternura


- Love still you

- Love still me


E a aconteceu dos animais tristes aprenderem a sorrir

Lá no canto, cabisbaixa, a Oitava olhou o céu desenhado

Abdicando o sentir.


- Hate is not hating

- And Love still me


Enquanto o vidro era mastigado

O calar sufocante e amargo

Fez Oitava força o riso a rir


Porque a Primeira,

Por quem enamorada estava

Por outras três abandonou a Oitava

Pintando o cenário onde ela devia fugir


E Oitava aprendeu o sete

Do seis ao cinco, fez de sua alma marionete

E viu a Primeira partir


Porque lá no fundo ela cantava

Chorava e se perguntava


- Love still love

- Red who

Why you

Not me?


E o então se abraçou.

quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

Ehyeh-Asher-Ehyeh

Eu sou
O poeta das palavras bonitas
Das rimas bem desenhadas
Do falar moderado e sensível
Que, debochando, faz da vadia namorada.

Relatando caricias da bola de cristal
Filosofando a vida de caneta
Fazendo do incerto o banal.

Porque eu sou o que sou
E por ser poeta sou assim:

Rimando sem vontade
Dizendo meia-verdades

Cativando o leitor
Ao vomitar carmesins.

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Dór

Por conveniência você se vai

Por inocência me retém

Por displicência o meu Eu se esvai

Por condolência você vem


E nesse vai
e vem
O Az,
Meu amor,
É o fim.

domingo, 28 de novembro de 2010

Desfaz o Mas

Porque haveria de ter lugares

Rodas, gigantes e escopetas

Um barulho gritante pela casa

O ecoar de dons

O flutuar de minhas penas e canetas


Tentando esconder a porta escura

A Gota podre

A utópica pele nua


Tentando disfarçar a inocência

Do perfume pós-banho

Da leveza e da dormencia


E se no ar voce não anda

No mar voce não afunda

No céu voce não sonha

No inferno voce finge e ganha


Hááááá


A dor... o odor... o desejo... o calor...

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Autopornografia

O poeta é um trepador

Viscerando a caneta diariamente

Gozando e fingindo dor

No odor de sua fera crescente


E no papel, enquanto fere,

Gotas de luxuria exala o Bem,

Não da violencia que obteve

Mas daquilo que a retem.


E assim, no ciclo da Perda

Vagueia trépido ao abraçar o chão.

Na certezas de que fizera

Da casca o coração.

domingo, 21 de novembro de 2010

The End

é sobre começo
e sobre fim

sobre morada
sobre o por vir

é sobre a terra
e sob o chão

é cachoeira
e o retorno do trovão

é namorada
é no enfim

é a lembrança
emoldurada

quebradiça e soletrada

do passado
do presente
do futuro

e do f do mim

sábado, 13 de novembro de 2010

eat it eat eat it it it it eat eat

E voce come

Como

Come

E come come corre

Disfarça

E como como como

No mono

No nome

A rua

Come como


Entao some

Como E some

Insolente

Insone

Come o Nome

Come

Some

Desaparece

CABOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOM!

segunda-feira, 8 de novembro de 2010

[put um risada here]

Let's make a house

Kill a dog

Eat water

Drink evenings

Stay in the night

Let's burn a church

Be such and rush

With no no-rock-n-roll

Let's make a devil

And be a Saint


Vamos dominar o sol

Vamos inundar as praças

Com canto e suor

Com odor e passas


Vamos confundir o cerebro
E fundir linguas

Vamos scratch e pow

Be normal e não soul


Lets be ridiculos

Lets be ridiculous

Ridiculos
Ridiculous

And burn the flags

sábado, 6 de novembro de 2010

sexta-feira, 5 de novembro de 2010

C U B O

Os Céus calaram a Voz
E a Terra perdeu-se em meio ao tempo

- O que se fez do sol?
- Morreu, desfeito em remendos.

Ao pó voltou deus
E em um totem ergeu-se o Menino

- E o que voce fez com o Papel?
- Joguei na lama, desfiz em cachimbo.

-- e o calar humano se tornou um grito --
-- e o calor do demônio se desfez em atrito –

Ó terra, ó vida

Onde está o comboio
Do inferno-pássaro
Que me habita?

Red than Black

. Então você desperta com a sensação de ainda estar dormindo. À sua frente a paisagem cinza e barulhenta dá lugar ao silêncio de paredes escuras. Ninguém te percebe. Ninguém quer te notar. Você caminha enquanto a face de três mundo desconhecidos vão se mostrando e tem a certeza de que não existe céu, nem inferno, mas seu lar certamente foi um purgatório.


Deviam ter visto melhor, as palavras que jorraram de sua boca, ou até mesmo ouvido melhor os idiomas que você pintou.


Mas ninguém quis perceber. Ninguém quis notar. Ninguém quis.


A cada passo, o corredor cresce, gélido, negro e aconchegante como a noite – sem nenhuma Lua para te cortar.


A cada passo, os Juízes vão te chamando ao chão, mórbido e sombrio como a primeira noite – mas sem nenhuma Lua, só para te matar.


- Por onde tem andando?

- Por aí...

- Quer falar sobre?

- Não...

- Por quê?

- Por quê, você pergunta... Por quê eu não sei dizer.

- Falhas acontecem.

- Eu sei. O espelho me lembrou disso hoje noite.

E quando o corredor se completa, o abismo te encara – negro e acolhedor, como a Lua em sua noite cheia - te convidando para um último passo, uma última dança.

- Entre no plano. Não há banda. Não há som. Não há música.

E você cai... cai e se encontra, enquanto pergunta-se e se pergunta...


Pintando de vermelho a voz mórbida e pálida de uma noite sem Luar.


sábado, 30 de outubro de 2010

O C T A E D R O

Você chamou a Morte
Mas o mar te trouxe de volta

Voce beija Cassandra
Mas o gemeo te empurra e soca.

E não há religião:
Há carnificina:
Há podridão:
De oito lados:
De mentira.

Sinta sinta sinta - - -

Sintonia ar-ar-asfixia - - -

TzzzZzTZzzzzzzshiiiii
Arrrrrrrgghhhhhhhhauuuuuuuuuuu

--- --- --- --

Voce olha para o vento
E o ar não sopra
Voce grita e parte
O calar volta.

E então vem o Signo
Voce se esconde.

Voce grita Golias
Mas Golias não responde

terça-feira, 26 de outubro de 2010

NowHere

when dawn come
and night go

when the rain stop
and sun blow out

when tear is water
and the water turns blood

when the serpent is a matter
and don't matter where I belong

then life is death
and living is not to be

the man walk around
the cat dance around

and you are everything
we can't see

domingo, 24 de outubro de 2010

Son Me




Ele acordou em fúria. Disse que voltou, vai saber.

E, shit!, o que são esses poemas anteriores? Sindrome Azul?


Golias

segunda-feira, 14 de junho de 2010

You humanized the Vaccum

And there's nothing else left
Only a blues that remains
Dancing alone.

A shattered memory
Of all that was we, she, me, you.

The words we silenced
And the mean that take the truly true

It'll never come back after all

'Cuz when you think I was just a joke
You'll fall.

quarta-feira, 9 de junho de 2010

Eu não quero métrica
Nem rima
Nem grafite
Ou caneta.
Só cheiro, suor
Sabor e corpo.

Devaneios etereos.

quarta-feira, 2 de junho de 2010

No fim, no contra-tempo

O sol calou
Cessou o tormento
E a metamorfose ela concluiu

Deixou as asas
Cuspiu as patas
Deu-se ao vento
Abandonou o calar
E jogou com o relento

Borboleta borboleta
Borboletas.

quinta-feira, 20 de maio de 2010

Tsc, sonhei de novo

Hey, get rhythm when you get the blues
Come on, get rhythm when you get the blues
Get a rock 'n' roll feelin' in your bones
Get taps on your toes and get gone
Get rhythm when you get the blues


Johnny Cash

domingo, 16 de maio de 2010

O maldito dom das lembranças

Antes que a noite cresça
E outro dia
Por insistência apareça

Apresse-se...
Apresse-se...!
Apresse-se!
Apresse-se e proteja,

Apague as lembranças
Antes que a cicatriz
Perpetue a tristeza.

quinta-feira, 13 de maio de 2010

Be quiet

E as coisas irão se mostrando

L e n t a m e n t e.

[[[[[[[[[[[[[[[[

Dor de cabeça
Odor de Cabeça
Cor da cabeça.

]]]]]]]]]]]]]]]]

Quer saber o estranho... quer ser estranho
Quer ver o insano... quer poder o insano

domingo, 9 de maio de 2010

E ai você percebe

I'm singing in the rain
Just singing in the rain
What a glorious feeling

I'm happy again

I'm laughing at clouds
So dark up above
The sun's in my heart
And I'm ready for love
For love

sábado, 8 de maio de 2010

Um véu, Uma dança

E o meu rio não anda,
Suave, desmancha.
Caminha por ruas
Cheirando a infância.

E o meu céu não desgruda,
Balança, perdura.
Dissolve o trocado
Disserne a lambança.

E no chão machucado,
Corre sem amparo,
Meu véu,

Uma dança.

sexta-feira, 7 de maio de 2010

Navy

Red man
Blue guy
Gray you

A moon cry
I die
Than you

Green girl
Black boy
Red who

All sky fly
Wondering why
Why me not you

quinta-feira, 6 de maio de 2010

Freak

Weak end

...

Não é muito justo isso...

É que cansa pensar o tempo todo, só para tentar encontrar um motivo, mas não vi nenhum não...

Pior é que dói. Sinto tanta falta que dói.

Eu só queria que a última lembrança não fosse tão escura, e que a última conversa não tivesse sido tão fria.

Mas ninguém nunca entende. "Nakama" é uma palavra que eu não devo mais usar.

quarta-feira, 5 de maio de 2010

E ai de repente

A nostalgia escolar do dia anterior toma forma e você rever amigos, colegas... rostos daqueles três anos incriveis que você adoraria viver de novo.

E como se não bastasse, essa mesma nostalgia te leva a um dos seus melhores professores, aquele que você mais admira, só pra saber que ele não só lembra, mas acredita e torce por você.

Be happy, be happy.

segunda-feira, 3 de maio de 2010

Seja feliz.

Boa noite.

Beauties Can Die

É madrugada. O M83 me fez viajar muito nos ultimos minutos...

Vi eu e Ariel falando sobre insetos, lampadas e homens
Vi eu e Ariel e Jannie comprando bis, vinho e leite condensado
Vi eu e Talita sentados, em uma sala da Pinacoteca, abraçados ouvindo um estranho falar de arte
Vi eu quase quebrando o dedo do Ariel no nosso primeiro dia de aulas no curso tecnico
Eu e Talita rimos muito, mesmo sem querer.
Vi um piquenique na escola, com inumeras pessoas dizendo inconscientemente "é bom estar aqui"
Vi o Filipe me chingando
Vi o Callegari me abraçando
Vi a Vanessa falando que minha letra é feia
Vi a Carol e Sâmila rindo
Vi a Nona exalando alegria
Vi a Ana Claúdia gostando da minha poesia
Vi tantos amores e tantas pessoas que passaram por mim


Beauties can die... beauties can die.

domingo, 2 de maio de 2010

É, Henrique...

Te avisaram que no futuro você seria sombrio,
mas voce nao acreditou.

Te alertaram que era um monstro,
mas você não ouviu.

Espero que saboreie esse prólogo, enquanto ainda pode.
Voce perdeu.

terça-feira, 20 de abril de 2010

First Impressions of Earth

E passaram-se mais de vinte e quatro horas desde a hora em que eu percebi que teria que me desfazer de todas aquelas jóias só porque o laço de 4 metros não foi cortado, realmente... ele foi é jogado fora.

Mas tudo bem, não, não é isso que quero dizer. É dificil, mas passa.

Foi uma boa pessima impressão da terra, de qualquer jeito.

Divirta-se.

domingo, 18 de abril de 2010

It's working

Hhahahahah ironia, fui pro mundo real e achei ele bem monotono.
E Azul,deveras azul.

Pior é que me deparei com um par de pupilas queimadas que nao funcionavam direito, ahahha, me conquistaram mas quando eu chamei me deram as costas aahahah.

Tudo bem tudo bem. Só "derivando pensamentos" /merchan.

Voltei pro meu mundo real.

segunda-feira, 4 de janeiro de 2010

eu acredito em deus

e ele não é materia e muito menos espirito: é milhares de ideias.

Cegueira é falta de percepção, não de visão.

O cara ali da esquina tava cantando algumas verdades, mas ninguém da a minima.
Nem eu.
Fato é que eu sou tão cego qto qualquer um só por que enxergo demais?
Quando acordei o quarto estava claro e eu me senti vazio.

Assim, o legal é perceber que você só enxerga no escuro. Porque falta de visao aguça minha percepção, e isso é um problema.