sábado, 8 de maio de 2010

Um véu, Uma dança

E o meu rio não anda,
Suave, desmancha.
Caminha por ruas
Cheirando a infância.

E o meu céu não desgruda,
Balança, perdura.
Dissolve o trocado
Disserne a lambança.

E no chão machucado,
Corre sem amparo,
Meu véu,

Uma dança.

2 comentários: