quarta-feira, 2 de junho de 2010

No fim, no contra-tempo

O sol calou
Cessou o tormento
E a metamorfose ela concluiu

Deixou as asas
Cuspiu as patas
Deu-se ao vento
Abandonou o calar
E jogou com o relento

Borboleta borboleta
Borboletas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário