quinta-feira, 22 de setembro de 2011

Pedra/Ódio


Ainda há uma pedra no meio do meu caminho. 
Não se movimenta não me atrapalha, não incomoda... 
Não faz nada. 

Apenas fica lá parada, me impedindo de atravessar a rua. 

Quando fito Seus olhos e meu reflexo não percebo, 
cospe na minha cara e me faz chorar. 
Mas não incomoda – porque eu gosto da sensação.

Não sei mais se estou apaixonado por esse pedaço de nada, pela vontade de atravessar a rua ou pelo seu silêncio. 

Pela noite, quando no céu não vejo estrelas nem lua nem nada, 
me bate uma fome angustiante. 
Eu corro, mas sempre tropeço e caio e choro e nada mais. 

A percepção do erro não tenho mais, porque ainda há uma pedra no meio do caminho.

E quando pensei que tudo fosse ficar bem, 
uma outra nasceu lá adiante.

Um belo dia noturno.

Nenhum comentário:

Postar um comentário