quinta-feira, 27 de outubro de 2011

Cauterização


Tantos sonhos negros
Tantas formas no deserto
Soam como apostasia
Cicatrização.

Tombo a mente
Inclino o coração
- Não há o que pensar.

Desonra – do querer.

Arrrrrrrrghhh é!

Tanta coisa vejo
Tantas glórias degenero
Mas será isotopia
Ou podridão?

Fecho o corpo
Abro a respiração

Calúnia!
- Há de ver!

Iiiiiiiierrrghhhh.

Poema finito.

Nenhum comentário:

Postar um comentário