segunda-feira, 24 de outubro de 2011

Diálgos Silenciosos II


Quanto tento recordar os sonhos é mais ou menos assim:
-... mas eu não sei, tenho vergonha.
- Eu queria poder te ajudar, mas... eu também não sei.
- Ás vezes gosto de ter esperanças porque...
- Não, por favor! Isso só vai piorar tudo, eu não quero te ver...
- O quê?
- Não vou conseguir...
- Eu gosto de você.
- Eu também... mas...
- A culpa foi minha....
- Não foi.

Mas a verdade é que por mais que tente, Golias parou de ser claro comigo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário