sexta-feira, 14 de outubro de 2011

Fingi na hora rir


Toda vez que penso que acontece e
Todo sempre que desaparecer é
Tudo aquilo que não é dito então
Some embora sem a prece porque -

Lá no fundo do jardim eu
Não penso bem se sim ou assim mas
Vai que se quebranta a minha rima e
Sem querer fale demais e -

Não tem paz, rapaz-az-az-az-ai-aisss

Então finge que fala alguma coisa e
Brinca assim de mentir pra mim
Dorme no meu peito e pinta o muro da minha rua
Chupa minha angústia e ignora nossa pele

Nua rapaz, mas sem paz paz paz ai ai az

Mentir assim até que é bom.



Nenhum comentário:

Postar um comentário