quinta-feira, 20 de outubro de 2011

Hora de acordar do Pesadelo e Enxerga-lo como Fatos


Não encontrei nem pau
Nem pedra
Mas chegou enfim o caminho

Um pouco mais de desgosto
Muito menos carinho
Sobre cacos de vidro
Sobre meu linho.

Só o chão
A terra
O derradeiro descaminho


Onde amar não é o básico
Onde sofrer não há de passar
É passarinho

II

Uma semana depois
O idiota chorou
E o outro calou
E o sorriso se desfez

Nem gim nem vinho
Nem morango, amorzinho
Vai calar o seu ar agora

Te ver feliz tá sendo festa
Mas mandei a alegria embora

Nenhum comentário:

Postar um comentário