quinta-feira, 13 de outubro de 2011

Melancholiaaaaaaaaaaaa


Mi amore queda llorando
E eu o observo sem dizer nada
Los lábios trêmulos
Adocicados com meu imaginário
Não se calam, quando em silêncio
Correm as lágrimas sem que eu diga nada.

Há apenas o vazio no peito
Ouvindo o murmúrio estreito
Llorando esta Melancholia
Ignorando as intrínsecas manias...

Ah, se pelo menos fosse por mim...
Ah, se este azul fosse de outra semântica...
Ah, Melancholia... por que o quebranta?
Por que não a mim, que não canta?
Ah, Melancholia.... por que plantar o que não colhe?
Por que semear quando não se pode...

Devolve minha poesia
Seque aqueles olhos, e tira de mim esta alegria.
Troco tudo para ver aquele sorriso no meio da noite
No rosto de outro dia.

Tudoquesedizéaleivosia.
Então afasta de mim minha idiossincrasia.

Ah, por que sim.... porque não.... por que?
Melancolia, melancolia...
Me beija com tua pele fria.

Nenhum comentário:

Postar um comentário