sexta-feira, 28 de outubro de 2011

Tarantismo


vejo tantos
ruidos
por entre versos comprimidos
que me perco
assim
por entre meu becos
algo inspira a dor
e todo a dormencia
desses formas lucidas de demencia
no fim do meu apocalipse
se tornou rebeldia


eu me esqueci das regras
sinais, tudo regalia


sinais, sinais
ninguê nunca lê os sinais
ninguem quer os sentir
nem eu desejo os tocar


toda meia-noite cambaleia
e tropeça nessas palavras


eu me escondi no esgoto
e me tornei o nada.


----------------------- uma outra forma de se falar do mesmo e.... tal:



Sente ali
Sinais, sinais
Ninguêm lê os sinais
Nem eu os vi


É tudo assim meio -
Inspira a dor -
Não sei.


Arghhhh
Dor!

Nenhum comentário:

Postar um comentário