sexta-feira, 4 de maio de 2012

Vou-me embora pra Sabores (da Brasil)


Vou-me embora pra Sabores
Lá meu cartão é rei
Lá tem a cerveja que quero
Em copos gelados, que eu sei


Vou-me embora pra Sabores
Vou-me embora pra Sabores
Aqui nem sou feliz
Lá as coisas costuram
De forma tão inteligente
Que a Unila, louca e cheia de manha,
"Imperatriz" e negligente
Se torna o amor doente
Do amante que não tive


E como caminharei, na lástima
Vou me por em bicicleta
Correrei por entres os carros
Subirei na melhor mesa
Vou comer shawarma e amar!
E quando estiver borracho
Caido, como um qualquer vil
Mando chamar o garçom
Pra guardar minha história
Pois logo não serei menino
E alguém irá me podar
Vou-me embora pra Sabores


Na Sabores tudo é louco
Louco em união
Tem pessoal seguro
Pra parir a confusão
Tem mesa amarela
Tem cadeira a vontade
Tem travestis bonitas
Pra gente paquerar


E quando me ver sem riso, triste
Sem alegria e sem direito
Quando a noite vier
E a morte me chamar
- lá meu cartão é rei -
Terei o lanche que quero
Na mesa que escolherei
Vou-me embora pra Sabores

3 comentários:

  1. Poxa! Parabéns, meu camarada! Intertexto de bom ritmo e quantas boas tiradas!

    ResponderExcluir
  2. E siempre a Sabores serà o lugar de encontro e despedida..
    preco, sabor, sorriso, atendimento, pessoas que, se encontrando, vao conhecendo,e aprendiendo, eh a sabores anilando, construido historia.

    ResponderExcluir
  3. lindoo, nao tem o que comentar, está muito bem contextualizada, equilibrada e sincera... muito sentimento meu caro, eu adoro isso...

    ResponderExcluir