sábado, 4 de agosto de 2012

Tua poesia é uma merda


Vai babaca,
bate palma,
bebe vinho,
ri das minhas piadas
que eu rio da tua cara,
chupo a tua rola, guri
penetro tua cara, mulher
e te deixo feliz, homem de varinha

todos nós um bando de hipócritas
que gozam toda hora
a falta de gozo
do incerto
das vontades
e da fantasia

fazendo de conta que tudo é lindo
que não há beleza no escuro
e que amanha de manhã
vai acordar
pra gozar
da porra de um novo dia

Nenhum comentário:

Postar um comentário