terça-feira, 21 de maio de 2013

É arduo

folhas secas
caem no quintal
pensei ter visto
um vulto azulado dobrar esquinas
me esquivei
me desviei
rejeitei o escuro
mas ele chegou

um pássaro distante cantou
pra mim
de dentro das folhas
mortas no chão

pensei ter ouvido seu espectro
passeando por vultos azulados além da esquina
corri
me aprecei
mas a sombra escorreu por entre meus dedos

um pássaro antigo cantou
dentro de mim
e folhas secas erguidas
me viram morto no chão

terça-feira, 14 de maio de 2013

a vida tem capítulos assim:

enquanto o lado daqui
de triste chora
o lado de lá
é feliz e sorri

in between

- minto por medo
- mentira
- mentira que minto a mim mesmo
- mentira
- sorrisos leves de outono
- mentira
- alegria singela de primaver
- mentira
- eu sei...

é tudo mentira.

O dia em que Golias morreu

foi retratado
em
minha mente
em
páginas de algodão

ideia palpável sobre a vida

- poeta?
- sim, poeta
- poeta...
- sim, poeta?
- me diz... poeta...!?
- pois digo: poeta.
- poeta... tudo que não quero ser.
- tudo o que?
- tudo em mim e você

ideias palpáveis sobre a morte

se o real é minha carne
então que o sentir
carece sentido
é virtual
e contraste
de um mundo inaudível

se minha carne só é palpável
pelo sentido que não vejo
então a crase
da verdade
diz respeito ao meu medo

e minhas ideias invisíveis
são bytes não comutáveis
e os sentimentos risíveis
são uma matrix da realidade

justificando todo desabafo dessa tela

relógio suicida

tic tac
tic tac
tic tac
tic tac
ti..c tac
tii... tac
ti..ta
t... ta
t
t
tu
tu
tu
tu
tu
tu

domingo, 12 de maio de 2013

nia

- um mundo em que cada verso
- é um tiro na cabeça
- mas a morte fugirá deles
- e nós correremos pra ela
- o que você acha
- digo eu a mim
- eu não sou poeta
- eu sou tudo
- queria ser nada
- zero
- absolutamente
- um zero

esquizofre

me lembro
de fora da caixa
de tempo em tempo
a esperança de promessa
chovendo tristonha
gotas de segredos inversos
envoltos em paloma
dançando de mal dadas
sob os pés do tyamu
esquecendo seus sentidos
pra esquecer a falta
cheirando a abandono